Descubra como aproveitar a erva vaporizada | Vaporizador de Ervas

Descubra como aproveitar a erva vaporizada


O que é erva vaporizada e por que aproveitar sua AVB?

 

Se você é novo no mundo dos vaporizadores, o termo AVB pode ser novo para você. Mesmo alguns usuários mais experientes não sabem. AVB vem da sigla em inglês already vaped bud, ou “erva já vaporizada”, ou seja, é a erva vaporizada que você já usou para consumir em seu vaporizador.

Normalmente, após utilizar com o vaporizador os usuários jogam seu AVB fora, como fazemos com as cinzas de cigarros e baseados. Mas mesmo já tendo sido vaporizada, sua erva ainda contém um pouco de THC que pode ser reaproveitado de outras maneiras. Daí a importância tremenda do AVB!

Neste post discutiremos melhor a ciência e os usos do AVB para você aumentar ainda mais a economia de erva com seu vape.

Em outro post aqui no site escrevemos sobre como preparar manteiga de erva vaporizada sem cheiro.

 

O que é erva já vaporizada?

 

 

A erva vaporizada são os “restos” já utilizados em seu vaporizador. Apesar de possuir aparência e aspecto menos agradável, além de gosto ruim, ainda possui compostos da cannabis que podem ser aproveitados de diversas maneiras. Isso porque parte desses componentes não evapora ou não se desprende do material da planta. Mas isso não significam que estejam perdidos.

Diferente de quando queimamos a erva, como em cigarros ou bongs comuns, o vaporizador não destrói a maconha enquanto a evapora. Podemos então resgatar esses restos e extrair (ou consumir diretamente) o THC que ainda está preso lá. Esta é mais uma maneira que o seu vaporizador pode economizar em erva.

 

O vaporizador não consome todo o THC da erva?

 

A resposta curta é não: tirando pela ingestão, métodos de inalação não consomem todo o THC de sua erva. A diferença é o que acontece com o THC que “sobraria”, e como utilizar a erva vaporizada para evitar desperdícios!

A vaporização é um dos métodos mais eficientes de consumir cannabis atualmente. Isso se deve à maneira como a vaporização funciona: ela não utiliza combustão em seu processo de produção de vapor. Assim, há menor perda de THC por degradação da planta, que é aquecida a temperaturas menores e por um maior período de tempo e retém suas propriedades físicas.

Nós aquecemos a cannabis pois, para ser absorvido pelo organismo, o THCa – que é o que está presente na planta – deve ser transformado em THC pela descarboxilação. Esse processo é realizado através de calor, seja de combustão ou da vaporização. A diferença é que a combustão inutiliza todo o material da planta, transformando-o em cinzas, além de queimar parte do THC e conter centenas de substâncias tóxicas devido na fumaça.

Já para o processo de vaporização, os vaporizadores utilizam um de dois métodos para aquecer a cannabis: convecção ou condução.

 

 

Os vaporizadores de convecção utilizam apenas ar quente para ativar o THC, não tendo contato direto da fonte de calor com a planta. Dessa maneira, assegura-se um sabor melhor, não há risco de combustão e a temperatura é constante em toda a erva.

Os vaporizadores a condução, mais comuns e mais baratos devido a maior simplicidade técnica, aquecem a erva diretamente pelo contato com uma superfície quente. Apesar da vantagem de atingir altas temperaturas mais rápido, isso pode danificar a própria erva. Veja em nossa página o consenso da comunidade sobre os melhores vaporizadores!

Como a vaporização não destruiu a flor utilizada para inalação, aquele THC que sobrou e não evaporou para ser inalado, ou ficou preso à erva, pode ser reutilizado! E com uma agradável surpresa: já é THC ativado para ser absorvido pelo corpo, podendo ser diretamente consumido de diferentes formas.

Se você jogava fora a sua erva já vaporizada, tenho certeza que está arrependido agora, não é mesmo?

 

Qual o melhor vaporizador para obter AVB?

 

Erva Vaporizada

 

Todos os vaporizadores produzem AVB, porém alguns danificam e degradam mais a planta e o THC que outros. Por isso, tenha em mente algumas características quando escolher um vaporizador, especialmente se está buscando economizar erva! Eles podem alterar as qualidades do seu vapor, além de deixar pra trás erva vaporizada de qualidades diferentes. Verifique nosso post sobre os vaporizadores mais econômicos caso esteja em dúvida!

O controle de temperatura é um dos fatores mais importantes. Para ser absorvido pelo organismo, o THCa da planta deve ser transformado em THC pela descarboxilação. Esse processo ocorre quando o TCHa é exposto a temperaturas acima de aproximadamente 105ºC. A descarboxilação também não é instantânea, e pode ser acelerada com temperaturas mais altas, mas temperaturas muito altas ou desiguais deterioram os compostos rapidamente.

A temperatura também é importante pra definir outros fatores da vaporização, como cheiro, gosto e potência. Quanto mais baixa a temperatura, melhor vai ser o gosto do vapor consumido. Quanto mais alta, porém, maior a densidade do vapor. A densidade é o quanto de THC está presente em cada tragada.

Por tudo isso, é importante escolher um vaporizador que tenha temperaturas estáveis. Vaporizadores de mesa são melhores que portáteis, pois suportam equipamentos maiores e tem mais estabilidade de temperatura. Mas a maior parte dos consumidores de vaporizador possuem um modelo portátil, para aproveitar a praticidade e discrição de um vape.

Para vaporizadores portáteis, os de convecção são melhores que os de combustão. A cannabis começa a queimar a partir de cerca de 200ºC. Como os vaporizadores de condução esquentam muito rápido, podem ultrapassar essa temperatura no ponto de contato com a erva e queimá-la. Já os vaporizadores de convecção não possuem esse problema, utilizando apenas ar quente a temperaturas estáveis para a vaporização. Se seu vaporizador tem controles de temperatura que excedam 200ºC, tente manter a temperatura mais baixa para ervas (Alguns vaporizadores que também funcionam com extratos podem chegar a temperaturas mais altas).

Ainda que não tenha a mesma potência da erva original, você se surpreenderá com quanto THC sobra em sua erva vaporizada. Essa é mais uma das maneiras que seu vaporizador economiza em erva para você!

 

O que posso fazer com a erva vaporizada?

 

É importante frisar algumas coisas quanto à erva já vaporizada, que podem pegar despreparados alguém que não conheça sobre isso.

Primeiro, para identificar se sua erva pode ou não ser reutilizada, um “teste de cor” ajuda bastante. Como vaporizadores hoje chegam a temperaturas muito altas, a erva vaporizada acima de 190º já pode adquirir aspecto de queimada. Caso sua erva vaporizada esteja verde até tons escuros de marrom, provavelmente ainda contém THC e pode ser reutilizada. Caso tenha uma cor preta e escura, a erva provavelmente já está queimada demais pra ser reutilizada.

A segunda dica importante é: Quando é tostada pelo vaporizador, a erva adquire um gosto horrível. Assim, é possível simplesmente retirar a erva do vaporizador, enrolá-la e fumar. Mas o gosto será horrível! E como a potência está reduzida, você terá que fumar mais do que de costume para atingir os mesmos efeitos.

O que as pessoas costumam fazer com sua erva vaporizada? Confira a seguir algumas dicas de como consumí-la de maneira fácil ou elaborada, você decide! O que importa é evitar o desperdício no fim do mês.

 

Ingerir diretamente

 

 

Um engano muito cometido entre os que se aventuram a cozinhar com cannabis é o de não saber sobre a descarboxilação. Para ter comestíveis eficientes, é necessário aquecer a maconha à uma temperatura ideal, controlada e por um longo período de tempo, com cuidado para não evaporá-la nem queimá-la no forno. Do contrário, não será absorvida plenamente pelo corpo.

A erva já vaporizada resolve esse problema sem os empecilhos de ter que se esforçar em controlar a temperatura do fogo, ou ficar por muito tempo mexendo manteiga na panela! Como já passou pela descarboxilação no vaporizador, todo o THC remanescente na erva está pronto para ser consumido.

A maneira mais simples e comum de consumir a AVB é exatamente essa. Passando-a na torrada, jogando-a no molho ou jogando no omelete, o que a larica mandar. Dê preferência a comidas com gosto mais forte para mascarar um pouco o gosto ruim que permanece na erva já vaporizada.

Se você está procurando cozinhar pratos mais sofisticados que usem THC na receita, também é possível cozinhar com maconha vaporizada.

 

Fazer comestíveis

 

Consumir maconha por via oral é bastante diferente de fumá-la. Além dos efeitos demorarem mais para bater, a absorção pelo organismo também é diferente. Como não precisa ser inalada e não deixa cheiro, também é a maneira preferida de alguns usuários, como aqueles que têm problemas respiratórios.

Assim, pratos com cannabis estão cada vez mais populares. E a forma mais comum de se cozinhar com erva é diluindo seus compostos em óleo ou manteiga. O THC não pode ser diluído em água ou líquidos de base aquosa, apenas em gordura.

 

 

Normalmente, para transformar a erva em cannabutter (ou manteiga de maconha) ou canna oil (óleo de maconha) é preciso cozinhá-la por algum tempo em uma temperatura entre 110ºC e 140ºC para ativar o THC, diluindo-a em manteiga ou óleo de sua escolha. Como o vaporizador já descarboxilou a maconha, não é necessário se preocupar com isso.

Portanto, para diluir a sua erva no material – óleo ou manteiga – de sua escolha basta aquecer em fogo baixo a erva e a manteiga ou óleo. O recomendado é que a temperatura seja o suficiente para derreter a manteiga mas não para fazê-la borbulhar. Depois de algumas horas na panela, que deve ser mexida de tempos em tempos, está pronto.

Agora basta drenar os restos de erva do produto final e utilizá-lo normalmente enquanto cozinha. Prefira pratos que vão ao forno, como biscoitos, brownies, bolos e afins, para garantir que não irá evaporar ou queimar nada do THC presente na manteiga. Um dos pratos mais fáceis e preferidos é o brigadeiro, que mascara o gosto e é fácil de fazer e consumir!

 

Cápsulas de Gel

 

Existe ainda outra maneira de consumir sua erva já vaporizada diretamente. Muitas pessoas compram kits de cápsulas de gel, disponíveis em lojas de materiais de laboratório e hospitalares.

Depois é preciso apenas fazer cápsulas com a erva já vaporizada que você iria jogar no lixo, e tomar como qualquer outro comprimido. Assim você pode ingerir a AVB sem ter que lidar com o gosto ou textura, e curtir ainda mais a brisa!

É importante lembrar que esse método é idêntico a consumi-la com comida, ou seja, vai ter os mesmos efeitos da ingerida. Por isso, tome cuidado com a quantidade e lembre-se que pode demorar até você começar a sentir os efeitos. Comece com doses menores até encontrar aquela que é perfeita para o que você busca.

 

Tinturas e Bebidas

 

 

Sua erva vaporizada também pode ser diluída em tinturas para consumir oralmente. Tinturas são extratos de flores, normalmente feitos com álcool, e podem ser consumidos diretamente ou misturados em bebidas.

O processo de realização da tintura é bem simples. Basta deixar sua erva vaporizada imersa em uma bebida alcoólica composta por mais de 45% de álcool (como alguns gins, absinto, e outros). Depois de descansar por alguns dias, filtre a erva do líquido e está pronto. Tenha cuidado pois, além do efeito da tintura, o álcool pode potencializar a brisa.

Por misturar com álcool e ser um pouco mais complexo que os outros métodos, as tinturas não são muito comuns ou populares no Brasil.

Estas são algumas ideias para consumir a erva já vaporizada! Sabe de mais alguma? Conte pra gente nos comentários.

 

Tem como lidar com o gosto ruim?

 

Como já dissemos, o gosto da AVB não é dos mais palatáveis. A vaporização permite melhor apreciação do gosto e cheiro da erva consumida, mas isso não significa que o subproduto também seja gostoso!

Assim, muitas pessoas procuram maneiras de disfarçar ou amenizar o gosto. Além daquelas que já citei aqui, como misturar com comidas de gostos fortes, também há outra solução.

Leia esse post detalhando o processo de lavagem da erva vaporizada. Ele é similar ao processo de lavagem da erva comum. Como o THC não pode ser diluído em água, podemos usá-la para retirar outras impurezas da erva que dão seu mau gosto e odor, sem que ela perca a potência!

E aí, já conhecia os usos para sua erva já vaporizada, ou jogava fora? Deixe seus relatos e comentários abaixo!

[/et_pb_text][/et_pb_column][/et_pb_row][/et_pb_section]

Posts Recentes