Relato de um maconheiro que se apaixonou por vaporizar |

Relato de um maconheiro que se apaixonou por vaporizar


Já fumei a porra toda: maconha, skunk, haxixe, concentrados, cera… E de todas as maneiras possíveis: baseado de todos os tipos e tamanhos (taí uma única coisa que sinto saudades desse tempo… O ritual de “fumar”: dixavar, escolher a quantidade, tamanho da seda, piteira, apertar aquele cone lindo!!! E meus amigos sempre diziam que existia a minha qualidade pessoal no baseado… Tem gente aqui no site que pode confirmar essa teoria, mas enfim… ), no pipe, no cachimbo do vovô, na maçã (ou outra fruta ou legume que tivesse na geladeira naquele momento sem seda), na garrafinha (quem sabe, sabe!!)…

fumar

To (ou tava) nessa há provavelmente mais tempo do que você, nosso querido leitor, tem de vida!!!! De verdade… Mas posso garantir que ainda não tá rolando nenhum cabelo branco por aqui!!

Sensação na Holanda

Já fui para Holanda algumas vezes, e na última vez (acho que 2010 ou 2012) descobri o vape Vulcano, que todos estavam falando na época. Até tentei usar, aluguei um, mas eu achei que não funcionou, que não saia nada de fumaça (olha que costume escroto!!!), que eu não tava doidão….  Então nunca mais tentei nada do estilo..

vaporizar

Maconheiro antigo, técnologia nova

Alguns anos depois disso, tinha um amigo meu (amigo daqueles de infância, que as avós eram amigas, depois as mães e por fim, nós e até os irmãos mais novos), que inclusive EU iniciei na arte da fumacinha, que ficava falando que vaporizar era melhor, que não queimava a planta, que era a maneira certa de usar a planta, que assim sentiríamos melhor o gosto, os terpenos, o THC, blá, blá, blá…..

Para mim ele tava falando outra língua, e como todo bom (?) maconheiro das antigas, não dava ouvidos, na verdade, acho que nunca tinha prestado muita atenção ao que ele me falava. Lembro de uma vez ir à casa dele, isso há muitos anos e ele me mostrar uns 6 vaporizadores diferentes. De diferentes formas, de diferentes maneiras de aquecer a erva, de mesa, portátil….  Caguei!! Devo ter dito algo do tipo, Ok, beleza, legal, agora cala a boca e vamos apertar um!!

vaporizador

E durante pelo menos os últimos 7 anos, ele continuou diminuindo a fumaça e aumentando o vapor na vida dele… E eu continuei só fumando. 

Vou fazer um parêntese aqui e dizer que, além da ervinha, eu fumei cigarro durante uns bons 8 anos pelo menos. Nunca de forma pesada, daqueles que fumavam 2 cartelas por dia, mas já cheguei em tempos que rolava quase 1 maço inteiro… Mas consegui parar já há muitos anos!

Aí que chegamos em 2020.

Logo no começo da quarentena aconteceu uma coisa bem estranha comigo.

Tava sentado no sofá de casa, vendo TV a noite, já estava com o baseado no cinzeiro do meu lado quando de repente senti uma dor no peito, maluco, parecia que tinha tomado um tiro… Na verdade não, porque não saberia reconhecer essa dor. Então digo que foi como uma pedrada no meu peito, do lado direito. Uma dor absurda! Além disso, sentia que estava bem difícil de respirar, e sentia que era só do lado direito.

Como bom cagão e medroso de hospitais, fui deitar. Avisei a patroa que não tava sentindo bem e ia dormir. Quando acordei, a mesma dor, a exata mesma dificuldade de respirar normalmente ou profundamente. 

Não tem jeito né?! Hospital! Que bosta, hein? Vou no hospital nessa quarentena? Vou pegar covid lá dentro, mas preciso saber que porra é essa no meu pulmão!!!

Resumindo a história de sofrimento do seu anti-herói do momento, era a porra de um pneumotórax! 

Ficou curioso? Quer parar de fumar e começar a vaporizar?

Clica aqui e divirta-se imaginando essa merda!

Foi espontâneo, que é o menos grave, mas meu pulmão direito colapsou, se esvaziou completamente e precisei ficar uns bons 3 dias na CTI e mais 4 dias num leito, com um agradável dreno entre minhas costelas, pra tirarmos todo o ar e o pulmão conseguir expandir de novo.

No quarto mesmo, puto, prometi que não fumaria mais, que não precisava mais daquilo, que não estava me fazendo bem de nenhuma maneira, que não compensava mais os riscos, etc, etc…

Saí e fiquei 1 mês sem fumar… Até que, conversando com esse mesmo amigo, ele me fez aquela perguntinha mágica, que pela primeira vez soou como música aos meus ouvidos: Cara, por que você não começa a vaporizar então?

E depois de conhecer os vaporizadores? Será que continua a fumar?

Pronto, fiquei viciado. Comecei e mergulhei nessa pesquisa. Por que vaporizar? Quais as vantagens? Por que realmente não deveria mais fumar maconha, digo, queimar a planta com fogo e inalar essa fumacinha densa e que desce queimando? Devo ter ficado uns 10 dias só lendo. Li tudo! Inclusive todas as matérias desse site. 

Enfim acabei comprando um vaporizador de ervas secas. To com ele há um mês e posso seguramente dizer que foi uma das melhores decisões da minha vida (de maconheiro!), só assim para parar de fumar.

Satisfação ao máximo, ficando novamente chapado! Mudei o tipo de erva, que antes era o prensado, pro skunk. To gastando a mesma grana por vez, obviamente por menos gramas, mas posso garantir que a economia faz valer a pena. Se antes ia 50g por mês, esse último foram menos que 15g….

E o que quero dizer depois de tudo isso?

Que depois de mais de 20 anos fumando, me senti nesse último mês como se estivesse começando, descobrindo um mundo novo, uma criancinha num parque de diversões! E o que mais pensei foi, em como eu estraguei uma quantidade absurda de maconha nesses anos todos….

Fumar maconha?! É a maneira errada de usar essa planta. Ah, mas ela é fumada há trocentos anos!!! Concordo, mas antes não tínhamos esse tipo de pesquisa e tecnologia. Vejo que daqui alguns anos, vamos rir de quem fuma um baseado, e todos nós andaremos com nossos vapes de bolso por aí, soltando aquele vaporzinho cheiroso e saboroso pela cidade!!!

VAPORIZEJA!!!!!

Para mais análises de vaporizadores clique aqui

Posts Recentes