Quarentena canábica (legalização pelo COVID) | Vaporizador de Ervas

Quarentena canábica (legalização pelo COVID)


Todas as fragilidades da nossa sociedade vem à tona em momentos como o atual, em que vivemos em meio a uma pandemia de coronavírus. Mudanças são iminentes, e a nossa readaptação individual está vinculada ao bem-estar coletivo. É exatamente essa a hora da verdade.

“Tudo que acontece uma vez, pode nunca mais acontecer. Mas tudo que acontece duas vezes, acontecerá certamente uma terceira.” – Paulo Coelho, em O Alquimista (1988).

Na terça-feira dia 22 de abril, conforme reportagem da Newsweek, o Líbano aprovou a legalização da maconha para fins medicinais e industriais. A medida já vinha aparecendo na pauta do país desde antes da chegada do coronavírus. Em relação ao uso recreativo da planta, nada é previsto na nova lei.

Um laboratório de Israel, segundo informações da Health Europa, está estudando o uso de terpenos de Cannabis para tratamento da COVID-19. A formulação do mesmo é exclusivamente dedicada à terapia e prevenção de infecções virais. Confira ambas matérias na íntegra (divulgadas pelo Smoke Buddies) através dos links disponíveis nas fontes, localizadas no final do texto.

10 universidades pelo mundo que oferecem cursos focados em maconha

A maconha medicinal vem ganhando espaço em diversos lugares do mundo. De olho nisso, algumas universidades estão buscando capacitar seus estudantes para trabalhar no setor.

Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)

A UFRN realizou em dezembro seu primeiro curso sobre uso terapêutico da Cannabis. A capacitação foi promovida pelo Instituto do Cérebro da universidade e foi voltada a estudantes e profissionais da saúde.

Max Stern Yezreel Valley College, em Israel

A universidade localizada entre as cidades de Afula e Nazareth lançou uma especialização sobre maconha medicinal voltada para os alunos de Ciências Comportamentais.

Universidade de Maryland, nos Estados Unidos

Com um novo programa de mestrado, a instituição busca aproximar os estudantes a respeito da ciência e regulação por trás da maconha medicinal.

Scuola Italiana della Canapa, na Itália

Localizada em Turim, a instituição promove conhecimentos sobre a maconha na Itália, com diversos cursos voltados ao setor. Entre os temas abordados estão o cultivo, a agronomia e a produção de extratos medicinais.

Universidade do Norte de Michigan, nos Estados Unidos

Essa talvez seja a primeira graduação totalmente voltada para o estudo da Cannabis, criada ainda em 2016. Com duração de quatro anos, o nome pode até parecer mais abrangente, mas não é: “Química de Plantas Medicinais“.

Universidade Politécnica Kwantlen, no Canadá

A instituição passou a oferecer o curso “Introdução à Gestão Profissional da Maconha para Fins Medicinais no Canadá”. Com duração de 14 semanas, a capacitação busca auxiliar os estudantes a desenvolver um negócio adequado ao uso da maconha medicinal no país.

Oasksterdam, nos Estados Unidos

Trata-se da primeira universidade do mundo dedicada exclusivamente ao estudo da maconha. Fundada em 2007, ela conta com uma boa gama de cursos na área, abordando técnicas de cultivo, direito, política, história, entre outros assuntos relacionados à erva.

Universidade de Guelph, no Canadá

Como parte de seu programa de horticultura, a Universidade de Guelph passou a oferecer um curso online sobre o cultivo de Cannabis, abordando técnicas de cultivo caseiro e comercial.

Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

Mais uma iniciativa em solo brasileiro. Os alunos dos cursos de medicina, biomedicina e farmácia da UFPB passaram a ter uma disciplina sobre maconha medicinal no currículo.

Chamada “Sistema Endocanabinoide e Perspectivas Terapêuticas da Cannabis Sativa e Seus Derivados”, ela deve servir para capacitar os profissionais da saúde para o uso terapêutico da planta.

Niagara College, no Canadá

A universidade oferece um programa de pós-graduação em horticultura canábica, abordando desde informações sobre o cultivo até os requisitos legais para produção da maconha no país.

Posts Recentes